segunda-feira, 28 de setembro de 2009

“Obrigado(a) eu” ou “obrigado(a) você”?

Quem nunca ouviu (ou falou) uma das formas acima e se perguntou “Afinal, qual está correta?” que atire a primeira pedra.
Mas antes de esclarecer a questão vou contar uma breve história.
Há algum tempo, Caetano Veloso e Jorge Mautner, na ocasião do lançamento de um disco em parceria, foram entrevistados no programa do Jô Soares. No fim da entrevista, quando o Jô agradeceu a presença deles no programa, Caetano respondeu tranquilamente: “Obrigados nós”.
Até explicação na sua coluna da Folha de S.Paulo Pasquale deu, de tanto e-mail de pessoas questionando a resposta.
Tal estranhamento vem do fato de a palavra obrigado ser um adjetivo e, por isso, concordar exatamente com a pessoa (ou pessoas) que agradece(m) ou que responde(m) ao agradecimento: obrigado (homem), obrigada (mulher), obrigados (homens), obrigadas (mulheres).
Quando alguém diz “obrigado(a)”, está querendo dizer que está agradecido(a) por algo feito, que se sente na obrigação de retribuir o favor feito.
Mas como responder a esse agradecimento?
Algumas pessoas usam, de forma inadequada, a maneira “obrigado(a) você”. Se formos interpretar essa resposta na ponta da caneta, vemos que, quem recebeu o agradecimento, simplesmente “obriga” o favor à pessoa que agradeceu. É como se ela dissesse para quem agradeceu “Você tem uma obrigação para comigo”, mas, como vimos, o “obrigado(a)” é exatamente isso: uma obrigação para com a pessoa que se agradece. Confuso? Acho que explicando a maneira correta minimizo a confusão.
Quando alguém diz “obrigado(a)”, a forma correta de responder, entre outras, é “obrigado(a) eu”, ou seja, eu que fico obrigado(a). Voltando à resposta de Caetano, vemos que ele agradece por ele e Mautner, por isso o “obrigados nós” (plural de “eu”). Se achou estranho, é possível optar pela forma “obrigado(a) a você”, ou seja, eu é que fico obrigado a você.
Se ainda assim der um branco na hora de responder, opte simplesmente pelas formas: “não há de quê”, “de nada”, “por nada” ou “eu que agradeço”; o importante é não deixar sem resposta um agradecimento.

Em tempo: quando substantivamos o obrigado, ele não varia – “meu muito obrigado”, para homem ou mulher, “nosso muito obrigado”, para homens ou mulheres.

(Fontes de pesquisa: sites Sua Língua e Gramática On-line, Folha de S.Paulo.)

8 comentários:

  1. a expressão “OBRIGADO EU!” não é incorreta? o EU não é um pronome pessoal do caso reto? portanto ele não deve aparecer em final de frases, mas apenas no início, assim ele desempenha o papel para o qual foi criado: praticar uma ação e não recebê-la. O mais provável, ainda que estranho à sintaxe portuguesa, seria se utilizar da expressão “Obrigado MIM”, porque este pronome é quem recebe uma ação desencadeada pelo sujeito. Veja um exemplo clássico: “Este lápis é para mim?”

    http://www.artigonal.com/cotidiano-artigos/qual-a-forma-correta-obrigado-eu-ou-eu-que-agradeco-534549.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, "obrigado mim" é muito feio, e sua própria feiúra o torna errado, ainda que esteja certo!

      Excluir
  2. "Se ainda assim der um branco na hora de responder, opte simplesmente pelas formas: “não há de quê”, “de nada”, “por nada” ou “eu que agradeço”; o importante é não deixar sem resposta um agradecimento."

    Como assim o importante é não deixar sem resposta um agradecimento? Esse blog não é sobre o uso correto da língua portuguesa? Então se a pessoa estiver respondendo um agradecimento ela pode falar errado? O correto é dizer "por nada", não é "certo" dizer "de nada". Por que vocês estão ensinando errado? Uma pessoa que entra aqui quer aprender o português correto, com a resposta que vocês deram a pessoa vai continuar sem saber como responder corretamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Português falado tem certas liberdades que a norma culta não recomenda na modalidade escrita. Falar "de nada" está correto.

      Excluir
  3. Aff...
    Vocês me deixam um pouco confusa

    ResponderExcluir
  4. Um vírgula aí entre Obrigada(o) resolve um pouco da confusão:

    "Obrigada(o), eu"

    Há elipse aí depois da vírgula, que subentende: obrigada(o) estou eu pelo favor, pela gentileza etc. Ou, semanticamente, "quem se sente obrigada(0) sou eu pelo favor"... A expressão indica gratidão (eu que me sinto agradecida(o)).

    ResponderExcluir
  5. o certo eh
    obrigado, eu...

    nao tiveram aula de portugues seus analfabetos...
    obrigado voce esta errado...

    ResponderExcluir